Economia

Economia

Gigante do plástico de Joinville anuncia compra de duas empresas da cidade

A CIPLA Condor, gigante do plástico de Joinville, no Norte de Santa Catarina, anunciou a compra de outras duas empresas da cidade por um valor milionário. A informação foi anunciada nesta sexta-feira (12).

Gigante do plástico de Joinville pertence ao grupo dono da rede de supermercados Condor
Transação prevê investimento de R$ 30 milhões em dois anos – Foto: Divulgação/ND

De acordo com a assessoria de imprensa do Grupo Zonta, proprietário da CIPLA Condor, a empresa adquiriu a IBT Plásticos e a IBT Moldes, em um investimento de R$ 30 milhões no período de dois anos.

Segundo o Grupo Zonta, a estratégia deve fazer com que a CIPLA Condor cresça 40% a mais em 2024 em relação ao ano anterior. Absorvendo os 100 funcionários das duas empresas adquiridas, a gigante do plástico passará a contar com 350 colaboradores.

“Adquirimos a CIPLA há menos de um ano e, desde então, ela tem comprovado todo o potencial que fez o Grupo Zonta diversificar seus negócios”, afirma o CEO da CIPLA, Robson Fernandes.

Ainda conforme o CEO da empresa, o objetivo da fusão das operações é maximizar os lucros e aumentar o poder de produção da empresa, transformando a operação dentro da indústria.

De acordo com o comunicado emitido pelo Grupo Zonta, não haverá a descontinuação de nenhum produto das empresas adquiridas. “Esta abordagem reforça nossa determinação em manter e fortalecer os relacionamentos estabelecidos por essas empresas”, completa o CEO.

Gigante do plástico foi adquirida pelo Grupo Zonta no ano passado

A CIPLA foi adquirida pelo Grupo Zonta em 2023, em um leilão realizado no mês de maio. A empresa estava em recuperação judicial desde 2019, e foi comprada pelo grupo dono da rede de supermercados Condor.

Tradicional indústria da cidade, a CIPLA tem 60 anos de história e conta com 900 produtos plásticos para segmentos hospitalar, automotivo e construção civil. Para o ano de 2024, também está previsto o início da operação de uma linha de produção de sacolas plásticas.

Economia

Carrefour Encerra Operações em Joinville Menos de Dois Anos Após Inauguração

(Foto: Google Maps/Reprodução)

Em um comunicado aos clientes, a loja confirmou o encerramento das atividades, destacando o fechamento do estande do cartão Carrefour desde o início de janeiro.

Visitantes que foram até a unidade, localizada no bairro Anita Garibaldi, se depararam com prateleiras vazias e uma variedade de itens em promoção. Algumas fontes afirmam que receberam informações de que a unidade encerrará completamente suas operações até o final de janeiro.

Carrefour distribuiu comunicados a clientes nas unidades de Joinville (Foto: Arquivo pessoal)

Embora o Carrefour não tenha oficialmente confirmado o fechamento, a veracidade da informação foi corroborada pela reportagem. A empresa, por meio de sua assessoria de comunicação, limitou-se a declarar que “algumas lojas serão convertidas para outros formatos e também estão previstos alguns fechamentos pontuais”.

No final do ano passado, a rede de supermercados já havia encerrado operações em unidades localizadas nos estados da Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

No cenário local, vale destacar que o grupo Carrefour também opera a rede BIG, anteriormente conhecida como Sam’s Club desde 2021.

O comunicado oficial do Carrefour, divulgado em 28 de novembro do ano atual, informa que o Grupo Carrefour Brasil está revisando seu portfólio como parte de uma estratégia para otimizar sua rede de lojas. Nesse contexto, algumas lojas serão convertidas para diferentes formatos, e fechamentos pontuais estão previstos.

A empresa reafirmou seu compromisso com o estado de Santa Catarina, assegurando sua presença contínua na região por meio de diferentes formatos de varejo, Cash&Carry e Clube de Compras.

Economia

Crescimento Empregatício na Região de Joinville em Novembro: Mais de 21 mil Novas Admissões

Com 21.424 admissões, a região encerrou o período com um saldo positivo de 1.455 empregos formais, evidenciando uma recuperação sólida em comparação ao mês anterior.

Principais Dados:

– No mês de outubro, as cidades da região totalizaram 23.535 contratações, enquanto novembro registrou 21.424 admissões.
– Os municípios que mais se destacaram nas contratações foram Joinville (11.840), Jaraguá do Sul (2.388) e Araquari (970).
– Em contrapartida, Joinville, Jaraguá do Sul e São Bento do Sul lideraram as demissões, com 10.987, 2.376 e 972 desligamentos, respectivamente.

Perfil dos Contratados:

– Dos contratados, 56,18% eram homens e 46,69% mulheres.
– A faixa etária mais recorrente foi de 18 a 24 anos, representando 31% do total.
– A maior parte (63%) possuía ensino médio completo.
– Os setores de indústria, comércio e serviços concentraram a maioria das contratações.

Trabalho Temporário em Destaque:

O mês de novembro também testemunhou um aumento significativo nas admissões de trabalhadores temporários em todo o Brasil, totalizando 96.551 contratações. Segundo Orlando Leier, gerente regional da Employer Recursos Humanos em Joinville, a região oferece diversas oportunidades para aqueles interessados em ingressar no mercado de trabalho temporário.

Na modalidade temporária, os trabalhadores têm direitos assegurados pela legislação 6.019/1974, incluindo pagamento de horas extras, descanso semanal remunerado, 13º salário e férias proporcionais. O trabalhador temporário também contribui com 8% do salário para o FGTS, e o período trabalhado conta para a aposentadoria. A legislação permite a contratação por até 180 dias, com a possibilidade de prorrogação por mais 90 dias, e a efetivação pode ocorrer a qualquer momento durante esse período.

Conclusão:

Os números positivos refletem a resiliência e recuperação do mercado de trabalho na região de Joinville, proporcionando oportunidades para os profissionais locais. O setor de trabalho temporário também se destaca como uma opção viável para ingresso no mercado, especialmente diante do aquecimento decorrente das festas de fim de ano e do início da safra agrícola.

A expectativa é que essa tendência positiva perdure, contribuindo para o fortalecimento econômico da região e proporcionando estabilidade e crescimento para os trabalhadores locais.

Economia

Crescimento no Emprego: Joinville e Região Registraram 23,5 mil Novos Empregos Formais em Outubro, Aponta Caged

Descubra as últimas estatísticas de emprego na região norte-nordeste catarinense, destacando o aumento de 23.535 empregos formais em outubro, segundo dados do Caged. Joinville, Jaraguá do Sul e Araquari lideraram as contratações no período.

📈 Destaques:
– Joinville, Jaraguá do Sul e Araquari lideram as contratações.
– 70% das admissões na região ocorreram nesses três municípios.
– Setores de serviços, indústrias e comércio foram os principais empregadores em setembro.

👥 Perfil dos Contratados:
– Homens representaram 54,23% das contratações, enquanto mulheres, 45,77%.
– 61,78% dos admitidos possuíam ensino médio completo.

🎄 Trabalho Temporário em Alta:
– Contratação de 2.453 trabalhadores temporários em outubro.
– Aumento em relação a setembro, impulsionado pelo Natal e festas de fim de ano.

💼 Perspectivas para o Trabalho Temporário:
– Previsão de criação de 470 mil vagas temporárias no 4º trimestre de 2023.
– Setor industrial lidera as contratações, seguido por serviços e comércio.

📜 Direitos do Trabalhador Temporário:
– Anotação em carteira e direitos assegurados pela legislação 6.019/1974.
– Pagamento de horas extras, 13º salário, férias proporcionais e FGTS.
– Contratação por até 180 dias, com possibilidade de prorrogação.

🏢 Sobre a Employer Recursos Humanos:
– Uma das maiores empresas de RH do país, com mais de 35 filiais estrategicamente posicionadas.
– Oferece serviços e tecnologia para Recursos Humanos, simplificando a rotina do RH.
– Atende grandes empresas nacionais e internacionais em busca de soluções eficientes e tecnológicas.

EconomiaRegiãoVariedades

Procon de Joinville divulga pesquisa extra do preço dos combustíveis

O Procon de Joinville divulgou uma nova pesquisa de preços dos combustíveis. O levantamento apontou que houve aumento de 3,02% no litro da gasolina comum e de 6,42% no do etanol, em comparação a última pesquisa realizada no dia 13 de abril.

O levantamento foi realizado no dia 25 de abril, em 99 postos da cidade. O preço médio da gasolina comum ficou em R$ 7,088 (na pesquisa anterior era R$ 6,881), o menor valor foi encontrado a R$ 6,899 e o maior a R$ 7,199. A economia ao abastecer um tanque com 50 litros pode ser de R$ 15, se o consumidor optar pelo menor preço. Já no caso da gasolina aditivada, o preço médio é de R$ 7,211 (antes era de R$ 7,014).

O litro do etanol foi o que mais subiu, um aumento de 6,42% em relação ao levantamento anterior. Agora, o preço médio está em R$ 6,509 (antes era R$ 6,116), o preço mais em conta foi encontrado a R$ 5,990 e no valor mais caro o litro chega a R$ 6,899. Já o litro do diesel teve ligeira queda de 0,12%.

Normalmente, a pesquisa é realizada uma vez por mês, porém, como houve reajuste no preço, o Procon de Joinville realizou um levantamento extra para auxiliar o consumidor.

A lista do Procon está disponível a todos no site da Prefeitura de Joinville (bit.ly/PesquisaCombustivelJlle2022). É possível encontrar a relação dos menores preços da gasolina comum e também a lista com todos os postos, endereços, bandeiras e preço por combustível.

Economia

Dólar inicia semana em forte queda e fecha a R$ 4,64

A perspectiva de alta dos juros no Brasil empurrou o dólar para baixo e fez a moeda norte-americana fechar com a maior queda em duas semanas. A bolsa de valores não teve a mesma tranquilidade e caiu pela segunda sessão consecutiva, pressionada por ações de empresas exportadoras de commodities (bens primários com cotação internacional).

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (18) vendido a R$ 4,648, com queda de R$ 0,048 (-1,02%). A cotação iniciou as negociações próxima da estabilidade, mas despencou após a abertura dos negócios no mercado norte-americano, até fechar na mínima do dia.

Essa foi a maior queda do dólar desde 4 de abril. Com o desempenho de hoje, a moeda acumula baixa de 2,37% em abril. Em 2022, a divisa recua 16,64%.

O mercado de ações teve um dia mais tenso. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 115.687 pontos, com recuo de 0,43%. O indicador chegou a operar próximo da estabilidade no meio da tarde, mas perdeu força perto do fim da sessão, pressionado por ações de mineradoras e de petroleiras.

Num dia de feriado em diversos países da Europa, a desaceleração da economia chinesa em março afetou os papéis de empresas exportadoras de commodities. A imposição de lockdowns no país asiático para conter os casos de covid-19 reforçou a perspectiva de que a China diminua a demanda por minérios e por produtos agrícolas.

Em relação ao dólar, o real teve um dos melhores desempenhos do planeta nesta segunda-feira por causa da perspectiva de que o Banco Central brasileiro suba a taxa Selic (juros básicos da economia) além do previsto. O fato foi reforçado após o IGP-10 da Fundação Getulio Vargas (FGV) subiu 2,48% em abril.

Os dados mostram que a prévia dos índices de inflação continua alta, forçando a autoridade monetária a manter o aperto nos juros. Taxas mais altas em países emergentes, como o Brasil, ajudam a conter a fuga de capitais para economias desenvolvidas, que também aumentam juros neste ano.

*Com informações da Reuters

Economia

Antecipação da restituição do Imposto de Renda exige cuidado

Com a entrega das Declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) em curso, os bancos começam a oferecer aos clientes empréstimos para antecipar a restituição. As linhas de crédito são garantidas pela restituição que o contribuinte terá depois de processada a declaração, que deve ser enviada até 31 de maio. Quem precisar antecipar o dinheiro, no entanto, precisa ter cuidado.

Primeiramente, o cliente precisa estar ciente de que a antecipação representa uma operação de crédito, que cobra juros como qualquer empréstimo ou financiamento. Essa modalidade só é aconselhada em uma situação: quando o contribuinte precisa usar o dinheiro da restituição para pagar uma dívida.

Mesmo ao pagar o débito, o cliente precisa ter cautela. Isso porque os especialistas recomendam antecipar a restituição apenas quando os juros da dívida forem maiores que os juros dos empréstimos oferecidos pelo banco. Normalmente, as taxas são próximas às do crédito consignado. Neste ano, os cinco maiores bancos do país oferecem juros que variam de 1,43% ao mês até 1,79% ao mês.

O contribuinte também precisa ter atenção para não cair na malha fina. Normalmente, os empréstimos de restituição são de prazo curto, no máximo de até seis meses. Caso a restituição atrase porque o declarante do Imposto de Renda errou ou omitiu informações, o empréstimo com juros mais baixos torna-se uma operação convencional, com juros maiores.

Segundo o Conselho Federal de Contabilidade, erros na declaração e eventuais atrasos na restituição podem fazer o tomador cair numa nova bola de neve e contrair mais uma dívida. O órgão recomenda contrair a antecipação do Imposto de Renda apenas pelo contribuinte quem tem dívidas com juros mais elevados, como o cheque especial e o cartão de crédito, sem jamais usar o crédito para antecipar o consumo.

Lotes de restituição
A restituição será paga em cinco lotes. O valor será colocado à disposição do contribuinte na agência bancária indicada na declaração. Confira as datas de pagamento:

1° lote 31 de maio
2° lote 30 de junho
3° lote 29 de julho
4° lote 31 de agosto
5° lote 30 de setembro

BrasilEconomia

Taxa extra na conta de luz deixa de ser cobrada a partir deste sábado

A partir deste sábado (16), a conta de luz pode ficar mais barata, com o fim a bandeira de escassez hídrica que resultava em uma taxa extra na conta de energia elétrica de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. A medida, que encarecia os custos da energia elétrica, estava em vigor desde setembro de 2021.

A redução estimada pelo governo nas contas de luz para o consumidor é de cerca de 20%. Isso será possível porque, com os reservatórios de quatro das cinco regiões do país mais cheios, é possível, ao operador do sistema elétrico nacional, dispensar o uso de termelétricas, que têm custo maior do que o das hidrelétricas. Apenas os reservatórios da Região Sul estão baixos, devido à estiagem que atinge a região.

Já havia uma previsão de que a bandeira de escassez hídrica, patamar mais alto já adotado pelo governo, terminaria no final deste mês. A medida, no entanto, acabou sendo antecipada em cerca de 15 dias.

A tarifa extra foi aprovada em meio à crise hidrológica que afetou o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas do país em 2021. As usinas são a principal fonte geradora de energia elétrica no país. Segundo o Ministério de Minas e Energia (MME), o Brasil enfrentou, em 2021, “a pior seca já registrada na história”.

“Para garantir a segurança no fornecimento de energia elétrica, o país utilizou todos os recursos disponíveis e o governo federal teve que tomar medidas excepcionais. Com o esforço dos órgãos do setor, o país conseguiu superar esse desafio, os reservatórios estão muito mais cheios que no ano passado e o risco de falta de energia foi totalmente afastado”, informou, em nota, a pasta.

De acordo com o ministério, o reservatório da usina de Furnas terminou o mês de março acima de 80% de seu volume útil. Em entrevista concedida no início da semana ao programa A Voz do Brasil, produzido pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o secretário de Energia Elétrica do ministério, Christiano Vieira,  disse que atualmente os reservatórios estão, em média, com 70% de níveis de armazenamento, o que, segundo ele, “é muito relevante nessa época do ano”.

“Não dispomos de níveis assim desde 2012. Temos uma condição de segurança muito considerável. Na prática, significa que pouca geração termelétrica será necessária, o que se traduz em uma expectativa de bandeira verde até o final do ano”, disse.

Economia

Procon de Joinville divulga pesquisas de preço de combustíveis e do gás de cozinha

A pesquisa do preço do combustível foi realizada na quarta-feira (13/4), em 99 postos da cidade. Houve uma redução de 1,36% no preço do litro da gasolina comum em relação a última pesquisa e no diesel a queda foi de 2,87%.

O menor preço encontrado no litro da gasolina comum foi de R$ 6,770 e o mais caro a R$ 7,099, o preço médio ficou em 6,881. Ao abastecer um tanque de 50 litros com o valor mais em conta em comparação ao mais caro, o motorista pode ter uma economia R$ 16,45 no caso da gasolina comum.

O preço do litro do diesel mais barato foi de R$ 6,180 e o mais caro R$ 7,099, com o preço médio de R$ 6,508. A economia ao abastecer um tanque de 50 litros pode chegar a R$ 45,95.

No site da Prefeitura de Joinville é possível encontrar a relação dos menores preços e também a lista com todos os postos, endereços, bandeiras e preço por combustível.

Pesquisa do gás de cozinha

O Procon de Joinville também divulgou o levantamento do preço do botijão de gás com 13 quilos referente ao mês de abril. O menor valor encontrado para retirada no balcão foi de R$ 112 e o maior R$ 130. Já para a entrega, a variação no preço chega a R$ 35 reais, sendo o mais barato R$ 120 e o mais caro R$ 155. As pesquisas do Procon estão disponíveis em joinville.sc.gov.br.

EconomiaRegiãoVariedades

Restaurante Popular do Bucarein inicia atendimento diário e serviço no jantar

Atendimento 365 dias por ano, com refeições no café da manhã, almoço e jantar. Já está em operação o novo sistema de funcionamento do Restaurante Popular 1 (Restaurante Herbert José de Souza, rua Urussanga, 442 – Bucarein) que, a partir desta quinta-feira (14), passa a atender inclusive aos sábados, domingos e feriados, também com serviço de jantar.

Inédita no Estado de Santa Catarina, a iniciativa da Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Assistência Social (SAS), tem o objetivo de garantir à comunidade, especialmente às pessoas em situação de vulnerabilidade social e em situação de rua, um equipamento público que ofereça segurança alimentar todos os dias do ano.

“É um ganho expressivo para a população de Joinville, visto que a garantia alimentar e nutricional será proporcionada para todos, seja para as pessoas em situação de rua ou vulnerabilidade social, para o público prioritário inscrito no CadÚnico como também para a população em geral, como estudantes que estão no entorno, comerciantes, pessoas que trabalham próximos ao local”, afirma a secretária de Assistência Social de Joinville, Fabiana Cardozo.

Com a mudança, o Restaurante Popular do Bucarein vai atender todos os dias da semana, em três horários: das 7h às 9h (café da manhã), das 11h às 14h (almoço) e das 17h às 19h (jantar).

A nova operação já está sendo aprovada pelo público. O aposentado Francisco Galdino é frequentador assíduo do Restaurante Popular do Bucarein e almoça diariamente no local.

Para ele, a qualidade nutricional, o sabor e o preço fazem do Restaurante Popular a melhor opção para se alimentar. “É a melhor coisa do mundo! Que restaurante serve comida a R$ 2,00 e oferece o que tem aqui? A comida daqui está cada dia melhor, de verdade!”.

Com o atendimento ampliado para todos os dias e com serviço também no jantar, Francisco Galdino comemora: “A partir de hoje, também venho para o jantar e depois vou para casa dormir. Aos domingos eu nunca almoçava e agora vou almoçar aqui também”.

Restaurante Popular para toda a comunidade

De acordo com a Secretaria de Assistência Social de Joinville (SAS), atualmente, o Restaurante Popular do Bucarein serve, mensalmente, uma média de 1,3 mil refeições no café da manhã e 10,2 mil no almoço. Para o jantar, a expectativa é de que sejam servidas cerca de 1,5 mil refeições.

Além da qualidade, os preços das refeições reforçam o convite para toda a comunidade de Joinville desfrutar dos serviços oferecidos pelos Restaurantes Populares.

Para a população em geral, o valor por pessoa é de R$ 2,50 o café da manhã e R$ 5 o almoço ou jantar.

Os idosos com renda per capita de até 1,5 salário-mínimo, encaminhados pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), pagam R$ 1 pelo café da manhã e R$ 2 o almoço ou jantar.

Para os usuários do Cadastro Único beneficiários do programa Auxílio Brasil, com renda per capita de até meio salário-mínimo; idosos e pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e foram encaminhados pelo CRAS, o valor do café da manhã é de R$ 0,50 e do almoço ou jantar R$ 1.

Já as pessoas em situação de rua, cadastradas e encaminhadas pelo Centro Pop (exceto as beneficiárias do Auxílio Brasil ou BPC), bem como crianças de até 6 anos, são isentas e têm acesso gratuito às refeições.

Além das refeições servidas no local, também há opção de marmita, com custo adicional de R$ 1 pela embalagem para viagem.

Restaurante Popular 2

Vale destacar que o atendimento no Restaurante Popular 2 (Restaurante Zilda Arns, av. Alvino Hansen, 65 – Adhemar Garcia), permanece com atendimento de segunda a sexta-feira (inclusive nos pontos facultativos), servindo exclusivamente almoço, das 11h às 14h.

Os Restaurantes Populares fazem parte dos serviços prestados pela Secretaria de Assistência Social (SAS) da Prefeitura de Joinville e são administrados pela Associação de Segurança Alimentar Nutricional de Joinville (ASANJ).